Gelpeixe

Em 23 de novembro os professores Jacob e Lapa da disciplina de “Tudo é Economia e Economia do Mar” da Unisseixal, proporcionaram aos alunos a segunda visita de estudo do ano letivo, desta vez à empresa GELPEIXE, sita em Loures.

Trata-se de um empreendimento de origem familiar, de capital totalmente português, fundado em 1977 pelo Sr. Francisco Tarré, conjuntamente com seus dois filhos, e premiada a diversos níveis.

Fomos recebidos pelo Sr. Manuel Tarré coadjuvado pela D. Emília e Sr Rui que nos transmitiram diversa informação que acompanharam com a apresentação de um vídeo e nos conduziram na visita, respondendo a várias questões colocadas pelos colegas

Assim ficámos a saber que a empresa se dedica através de 14 linhas de elaboração à transformação e comércio de produtos alimentares ultracongelados, os quais se podem encontrar não só no pequeno comércio mas também nos grandes hipermercados, de quem também são fornecedores sob as suas marcas próprias, não só no ramo do pescado mas também no de outros produtos que vão desde salgados a refeições pré-preparadas ou à doçaria, estes apresentados em embalagens de cor de tijolo, sob a marca DELIDU.

Fazem também exportação, nomeadamente para países europeus e ex-colónias, tendo faturado  56 milhões de euros em 2021.

As suas instalações inicialmente localizadas num terreno de família têm sofrido várias alterações ocupam atualmente cerca de 10.000 m2, onde laboram cerca de 150 pessoas, número que em alturas de grande procura é alargado

Com uma capacidade de armazenagem de frio de 31.000 metros cúbicos, cujas câmaras climatizadas a 8º centigrados nos foi proporcionado atravessar, coloca diariamente no mercado mais de 60.000 embalagens no equivalente a 40 toneladas de produtos congelados, para o que possuem uma rede própria de distribuição.

A maior parte do pescado que transformam é originário principalmente de Espanha (Vigo) e África do Sul e quer seja peixe, moluscos ou marisco, é congelado no alto mar e recebido já sem vísceras e cabeça, para ali ser cortado e acondicionado em embalagens, de cor verde se da sua própria marca.

Fomos também elucidados quanto à sua política de pessoal, contando entre os colaboradores com mais mulheres que homens, a maior parte com mais de 10 anos de casa, sobre os prémios que lhes atribuem assim como de outras iniciativas de índole social, nomeadamente a nível da saúde.

Era tempo de nos despedirmos, mas antes fomos convidados a visitar o seu refeitório onde fomos presenteados com um saboroso bolo acompanhado por um chá ou cafezinho, após o que iniciámos o nosso regresso ao Seixal.

Fotos da visita

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.